Literatura capixaba volta a reunir público

Share Button

Produtores culturais contam o que passaram durante os dois anos de pandemia e como é poder ter contato direto com os leitores novamente

Por Sarah Bichara e Karina Lima

Registro de evento da Combiousa (Crédito: Thiaguera damasceno)

“A pandemia foi dura para todo mundo, mas, especialmente para a cultura, foi complicada. Começou muito rápido e tem demorado a dar respostas positivas no sentido de retorno”, este é o relato do editor da Cousa e fomentador cultural capixaba Saulo Ribeiro a respeito dos dois anos do coronavírus. 

Com uma editora local que, além de publicar obras, promovia diferentes eventos literários e trocas que fomentam a difusão cultural, o profissional se adaptou ao momento de crise tendo que fechar seus espaços físicos e usando de uma kombi para continuar chegando aos leitores, mas de maneira segura. 

O projeto “Caravana Combiousa”, apoiado pela Lei Aldir Blanc, rodou cidades do ES levando livros e fazendo contatos literários sem a presença de público. Foi somente no segundo semestre de 2021 que o primeiro evento com público ocorreu. No entanto, o também escritor explica o que veio depois: “ Tivemos que nos recolher novamente. Recomeçamos agora, aos poucos. Estamos sempre sentindo como está o público, a pandemia, o perigo na cidade para a gente poder montar as atividades”. 

Para a produtora e idealizadora do Sarau da Barão e do Ponto do Livro-Vix, Ruth Rangel, a realidade não foi muito diferente da descrita por Ribeiro. Os eventos que promovia foram passados para o modelo virtual. O Sarau da Barão continuou acontecendo de maneira remota por quase dois anos, reunindo pessoas diferentes e novas possibilidades. No entanto, Rangel destaca: “Não substituiu a potência dos encontros presenciais”. 

A produtora e ativista cultural Ruth Rangel (Crédito: Arquivo Pessoal)

Quanto à questão das lives desenvolvidas para manter o público abastecido de literatura no período, a escritora e produtora cultural, Lívia Corbellari, também explorou esse tipo de produção e destacou a possibilidade de uma troca com autores de outros estados, mas ressalta a importância das atividades presenciais. 

“A escrita e a leitura são momentos muito solitários, mas é muito importante esse momento do lançamento do livro, o escritor poder estar em contato com os leitores, poder formar novos leitores

Lívia Corbellari

RETORNO

Neste momento de maior abertura, em que o Mapa de Risco divulgado pelo governo estadual mostra todos os municípios se encontrando entre o risco baixo e muito baixo de contaminação, os eventos literários passam a se fazer presentes com mais força. 

Saulo, que já realizou alguns lançamentos em 2022, conta que os planos são voltar à agenda de um a dois eventos por mês até o final do ano. Já Rangel relata que o Sarau da Barão continua no seu formato original desde dezembro de 2021, ocorrendo toda primeira quinta-feira do mês, na calçada da rua Barão de Monjardim, no Centro de Vitória. O evento aberto ao público conta com declamação de poemas, textos e música.

Corbellari realizou nos últimos dias 12 e 13 de março seu primeiro evento presencial depois do início da pandemia enquanto produtora. Denominado Zona Cultural, ele reuniu autores e leitores em noites regadas à poesia, livros e bate-papos. “Tava todo mundo muito carente por esses momentos, então foi muito intenso”, relembra Lívia. 

A autora da obra “Carne Viva” também conta que era claro como todos estavam felizes em poder se reunir. Vale lembrar que o evento com apoio da Secretaria de Cultura do Espírito Santo contou com os protocolos de segurança, tais como o uso de máscaras e a necessidade do passaporte vacinal. 

A escritora e jornalista Lívia Corbellari (Crédito: Heitor Righetti)

VEM AÍ!

E o retorno dos eventos culturais guarda novidades desses produtores culturais. Ruth conta que em julho ocorrerá uma edição de aniversário de 7 anos do Sarau da Barão. “Nesse evento de comemoração, teremos uma programação especial, com oferta de quatro oficinas literárias: Escrita criativa a partir do art journal; Oficina de zines; Criação de personagens; e A jornada da autopublicação”. 

Enquanto isso, Lívia adianta que a Zona Literária ganhará mais edições: “Estamos nessa fase de montar esse novo formato de evento para ele continuar acontecendo e sempre com uma curadoria diferente”. 

O momento parece promissor para os amantes da literatura! É importante que fiquem atentos às agendas culturais para que possam acompanhar o retorno das atividades literárias presenciais. 

Deixe um comentário