A influência do ambiente físico escolar na qualidade de ensino: pandemia e modificações

Share Button

Karina Lima e Vitor Guerra

Profissionais apontam que ambientes podem influenciar diretamente no processo de ensino 

Há uma relação especial entre o ambiente físico escolar e a sua capacidade de maximizar o aprendizado dos estudantes. A aprendizagem de conhecimentos e habilidades se desenvolve em diferentes setores, mas é na escola que ocorre a primeira parte desses estímulos. A relação entre ambiente escolar e aprendizagem também é confirmada pelo Arquiteto Urbanista, Suelio Saldanha, 29. “Nas escolas em que há grande investimento financeiro e planejamento, tem-se edificação mais confortáveis e eficientes. Por consequência,  um favorecimento do processo de ensino e aprendizagem”, analisa o profissional. Para Suelio, um projeto arquitetônico com objetivo de auxiliar nos processos de ensino e conhecimento dos alunos e alunas perpassa por um cuidado com o conforto e sensação de pertencimento ao ambiente escolar. 

A escola deve satisfazer as necessidades materiais dos alunos, ser agradável e alegre, proporcionando conforto e bem-estar. Esses fatores influenciam diretamente na capacidade intelectual, cooperação, estímulo à criatividade e à frequência dos alunos nas aulas. 

Foto: Freepik

Pós quarentena: retorno presencial e modificações 

Por questões de saúde pública, a chegada da pandemia causada pela Covid-19 impediu a realização de aulas presenciais, promovendo o afastamento de crianças e jovens dos ambientes escolares. A partir dessas configurações, reformas precisaram ser pensadas para garantir o retorno presencial dos estudantes. Muitas delas, porém, não mudaram o agravamento de problemas já existentes. É o que aponta o professor, Mestre em história, Ariel Cherxes, “Hoje não tem mais distanciamento de carteiras porque é obrigatório a volta de todos os alunos para a escola, o que dificulta o distanciamento por causa do espaço. As escolas não estavam preparadas para a pandemia e não estão preparadas para uma futura”, apontou.

O professor é  quem está em contato mais próximo fisicamente e emocionalmente dos alunos, ele que irá procurar saber se seus aprendizes se sentem confortáveis nas escolas e irá analisar seus desempenhos. Parte desse processo envolve organização, decoração e estrutura do ambiente. Para Ariel, o aluno é produto daquele meio. Ou seja, o ambiente influencia diretamente nas atitudes dos alunos. Alguns deles podem sentir-se autorizados a destruir equipamentos que já estejam precarizados, por exemplo. 

O retorno das aulas presenciais promove um debate extenso e possui diversas camadas de complexidade sobre a segurança sanitária. Após quase dois anos de pandemia, e o aumento expressivo da vacinação em massa no Brasil, ainda há um profundo processo de readaptação. 

Sendo um dos setores que precisam de mudanças estruturais para adaptar o espaço e ao mesmo tempo articular as práticas educacionais, os institutos de ensino devem a partir de agora procurar contornar essas dificuldades impostas pela atual pandemia e futuras.

Deixe um comentário