Coluna “Muro das lamentações do Earte”

Share Button

por Cecilia Miliorelli / Editoras: Aline Almeida e Andrezza Steck

Este é um espaço exclusivo para dar visibilidade às queixas mais frequentes dos estudantes da Universidade Federal do Espírito Santo acerca do semestre especial de 2020 e do ensino remoto. As histórias aqui contadas são selecionadas diretamente do Twitter e abordam as dificuldades e desafios enfrentados pelos alunos de forma bem-humorada, mas sem deixar de lado a crítica presente nas narrativas

Deposite aqui sua reclamação em forma de Tweet

O tumultuado período em que ocorre o cancelamento de disciplinas por parte dos estudantes foi ainda mais emocionante neste semestre. Com a adoção do Ensino-Aprendizagem Remoto Temporário e Emergencial (Earte) desde o dia 9 de setembro, houve algumas mudanças e flexibilizações nas solicitações de cancelamento das disciplinas, comumente feitas nas semanas iniciais dos períodos letivos. Os alunos tiveram o período de 11 a 13 de novembro para cancelarem as matérias e isso foi um assunto muito comentado nas redes sociais.

A maioria dos alunos se sentiu aliviada pela perspectiva de diminuir a carga de estudo. Eles expressaram seus sentimentos, e, inspirados, compuseram verdadeiras obras em forma de tweets. O Universo Ufes se compadeceu das reclamações dos alunos e elaborou uma coletânea dos melhores comentários sobre esse e outros assuntos sobre o Earte, que tiveram destaque na última semana.

Confira as histórias dos nossos guerreiros do ensino remoto! O @LimaXarlie finalmente se livrou das disciplinas que não estava dando conta. Te entendemos, amigo! Infelizmente, a palavra dedicação tomou outro sentido com o ensino remoto e nem sempre está fácil para o “pobre” estudante realizar todas as mil e uma atividades propostas pelos professores. Ficamos felizes pela sua conquista Parceiro Dudu e, talvez, até um pouco com inveja rsrs.

Menos feliz e quem sabe até um pouco mais atarefado está o @yannsx_, que tinha muito o que falar sobre o Earte e não era coisa boa. As atividades assíncronas somadas às aulas síncronas têm deixado os estudantes muitas vezes sobrecarregados. Mas, calma, pode piorar…

Segundo o nosso amigo yanzin, o caso dele é ainda mais grave. Se já era difícil com o professor, imagina sem ele! Realizar atividades sem orientação não é mole não. A metodologia de ensino imposta pelas circunstâncias não está pegando leve com ninguém… Forças, colega! O ano está acabando…

Até o ano acabar precisamos falar sobre um assunto sério. O efeito colateral do Earte em relacionamentos de longa duração… principalmente, a relação professor e aluno. A @riririrjulia explicou muito bem o principal motivo de DR’s entre os estudantes e os discentes no Earte. De um lado, a grande carga de trabalho dos professores, de outro, a dificuldade dos alunos em cumprirem muitas atividades assíncronas. Assim fica difícil…

Mas calma, jules… Apesar de nós não termos a solução do problema, estamos aqui para dizer que tudo bem, que também está sendo difícil para eles… Pode ser que assim fique mais fácil esquecer e perdoar. Quando voltarmos para o mundo real provavelmente você nem se lembre mais desse surto coletivo que se chama quarentena. Além disso, guardar rancor não faz bem para a pele.

Fazer o exercício de se colocar no lugar do outro não deve ser a coisa mais fácil do mundo… Afinal de contas, às vezes o cansaço é tão grande que não dá espaço para a racionalidade. Acreditamos que esse é o caso relatado por quem administra a página @meupaisufes. Eles comprovaram que quando se trata de Earte, não há limites para o desespero.

Apesar dos pesares e das situações complexas, é possível que a professora tenha tomado atitudes drásticas, mas será que devemos julgar? Os tempos são difíceis… Acreditamos que ela é uma pessoa desesperada, assim como muitos em 2020. Mais do que isso, a montagem da prova em tempo real confirma ainda mais que, em certo nível, o Ensino Remoto está afetando a saúde mental de alunos e professores. Sigamos pacientes e convictos… o fim do ano se aproxima!

Por fim, como prova de que o Earte de fato está acabando com a saúde mental de estudantes e professores, trouxemos o caso da nossa amiga @akamrli. Primeiramente, gostaríamos de proferir um saudoso “sinto muito” à você que nunca imaginou estar passando por essa situação.

Pois bem, em 2020 tudo é possível… Sabemos o quão ruim está a situação quando estamos diante de um contexto em que o professor cogita dar aula durante o feriado. Só mesmo devido a um grande surto coletivo como está sendo esta quarentena. Mas pensa pelo lado positivo! Pelo menos você vai poder contar essa história para as pessoas agora, como você fez nesse tweet.

Esperamos que sua professora esteja bem e você também!

Deixe uma resposta