Desvendando os programas de milhagens

Share Button

[h4]Com vários programas de milhagem pelo mundo, as empresas disputam a fidelidade do consumidor com promoções e benefícios que nem sempre são bem divulgados[/h4]

Ingrid Bastos – Os programas de milhagem surgiram nos Estados Unidos, em meados dos anos 80. A tradicional empresa área Pan Ann foi a pioneira, criando um forma de fidelização que dava créditos aos clientes. As milhas eram proporcionais ao trecho percorrido ,e posteriormente, trocadas por passagens. O sucesso do sistema de acúmulo de pontos foi tão grande que se expandiu pelo mundo, chegando ao Brasil em 1993. No entanto, só no início dos anos 2000 eles se popularizaram e foram além do setor aéreo.

Hoje, encontramos no país diversos programas gratuitos de fidelidade que contemplam desde passagens áreas a eletrodomésticos, remédios e até litros de gasolina. Porém, a grande maioria desconhece seus benefícios e tem dificuldade de resgatar seus pontos. Isso se deve ao sistema pouco intuitivo criado pelas empresas e a frequentes mudanças nas regras que, muitas vezes, não são devidamente esclarecidas ao consumidor.

Apesar disso, há também aquelas pessoas que são “viciadas” em promoções e aproveitam os descontos para saciar sua maior paixão: viajar.  A pernambucana, recém-formada em Ciência da Computação, Suzana Fragoso é um exemplo. Desde pequena ela não perde a oportunidade de conhecer novos lugares e já dentro da universidade passou a viajar com muita frequência. Com isso, em 2011, ela descobriu os programas de milhagens e atualmente não perde nenhuma oferta.

mat1Suzana conta que no início teve a orientação do pai, que a ensinou como conseguir mais milhas por meio do cartão de crédito, já que hoje os bancos também possuem sistemas de acúmulo de pontos, os quais podem ser convertidos em milhas. Em seguida, ela buscou informações em sites de viagens e passou a prestar atenção nas matérias e notícias sobre os programas. No quesito maiores descontos, ela destaca o trecho que fez de Recife para o Rio de Janeiro por apenas 5.000 milhas, isso três dias antes da viagem. Enquanto que pela forma “tradicional” as passagens saiam por mais de R$ 400,00.

Com as dicas em mãos a pernambucana já viajou bastante.  E este ano decidiu montar o próprio blog, após prestar muita consultoria particular aos amigos e conhecidos. No www.meuviciodeviagem.com.br/, Suzana ajuda a resgatar as milhas no Smiles, programa de milhagem da Gol, e aproveitar as vantagens dos sistemas de fidelidade. Outro site interessante é o www.mestredasmilhas.com, que traz notícias e dicas sobre diversos programas brasileiros e do exterior.

Conheça os principais programas brasileiros

No Brasil existem diversos programas de fidelidade, alguns mais regionais e outros que reúnem grandes empresas. Um exemplo é a Multiplus que engloba uma rede de mais de 300 estabelecimentos. No entanto, o setor aéreo é o que mais oferece vantagens.

O mais antigo sistema brasileiro é o TAM Fidelidade. Nele os clientes são divididos em cinco categorias, variando de acordo com a frequência de viagens. Após o cadastro o consumidor adquire o cartão “branco” e com o acumulo dos pontos pode chegar até a categoria “black”, que garante prioridade no check-in, acesso a sala vip e atendimento diferenciado. Para se cadastrar basta acessar: www.tam.com.br

Outro programa muito popular é o Smiles, da Gol. O cadastro pode ser feito no portal www.smiles.com.br , lá o cliente tem acesso a sua conta e as principais promoções. Um dos diferenciais do Smiles é que você pode acumular milhas de vôos de até 6 meses anteriores. Caso você tenha viajado pela companhia aérea nos últimos meses, no site do programa é possível recuperar os pontos mesmo sem o cadastro anterior.

Já o Tudo Azul, da Azul, e o Programa Amigo, da Avianca, se destacam como os mais difíceis de conseguir juntar milhas, segundo a pernambucana. Ela explica que isso se deve ao preço alto das passagens dessas companhias. Suzana ainda indica o programa Smiles para os iniciantes, principalmente aqueles que não têm muita paciência. “É a companhia aérea com promoções de passagens (normais) mais frequentes e trechos de milhas mais em conta também” conta.

Por fim, reunimos algumas dicas apontadas por Suzana e outras garimpadas de blogs especializados no assunto. Confira abaixo as sete que selecionamos e boa viagem!

  1. Inscreva-se. Antes de mais nada é preciso se cadastrar mesmo que você não seja um viajante frequente. O cadastro é gratuito e você só tem a ganhar.

  2. Número do cartão. Lembre-se sempre colocar o número do seu programa de fidelidade no formulário da compra da passagem, pra não correr o risco de esquecer e não informar no momento do check-in, e ter que correr atrás das milhas depois. Na correria da viagem e da rotina, você pode acabar esquecendo dos pontos merecidos.

  3. Fique atento às promoções. Visite regularmente os sites das companhias e assine as newsletters.

  4. Não se esqueça: as milhas têm validade. A TAM estipula um prazo de dois anos a partir da data do voo. Já no caso do Smiles, a validade é de três anos.

  5. Parceiros. Saiba quem são os parceiros do seu programa de milhas. Estacionamentos, restaurantes e hotéis geralmente estão nesta lista.

  6. Faça o check-in pela Internet. Algumas empresas oferecem milhas para os passageiros que realizarem o procedimento pela Web. Consulte o site das companhias.

  7. Concentre os gastos no cartão de crédito. Procure saber se o seu banco tem alguma parceria/promoção de conversão de pontos para milhas. Pode ser uma forma mais fácil de acumular os pontos.

Deixe um comentário