Projeto Água Viva ensina natação para crianças

Share Button

Iniciativa da Ufes trabalha movimentação e desenvolvimento corporal na água.

Por Giovanni Werneck, Lavynia Lorenção, Marcela Delatorre e Robson Silva

Foto: Otávio Reis/Instagram

Presente no Centro de Educação Física e Desportos (CEFD), a natação e a hidroginástica fazem parte do projeto Água Viva. Através dos benefícios da movimentação do corpo na água, crianças, adolescentes e idosos recebem, gratuitamente, qualidade de vida, saúde e desenvolvimento motor. O programa do CEFD recebe crianças e adolescentes com idade entre 4 e 17 anos para aulas de natação e adultos a partir dos 30 anos para a hidroginástica. O foco principal é ensinar a natação e a correta aplicação do exercício, levada através de profissionais e/ou estudantes. 

O projeto teve início em 2010 e se mantém até hoje com a coordenação da professora Paula Cristina, em conjunto com estudantes do Centro de Educação Física. A atual bolsista do programa, Djulia Tonnes, procura aliar a natação com a psicomotricidade, que é a análise das relações do indivíduo, através de seu corpo, com o ambiente interno e externo.

“Eu tento juntar um pouco das duas coisas. O projeto tem muitas crianças, então se eu ficar presa na natação, talvez eu tenha o prejuízo de não conseguir ensinar todas da mesma forma. Tento ter essa pegada mais psicomotricista, da criança saber se movimentar, saber que ela tem dois braços, para quê ela usa aqueles braços… Então vou mais nessa perspectiva”, conta Djulia.

  • PSICOMOTRICIDADE: ação do sistema nervoso central responsável pela criação de uma consciência no indivíduo acerca dos movimentos que realiza por meio de parâmetros como a velocidade, o tempo, o espaço e a percepção própria da pessoa.

A iniciativa utiliza também pranchas, espaguetes de natação e boias, que estão disponíveis aos participantes. O projeto é aberto à comunidade externa e recebe muitas inscrições, por isso, fique de olho na lista de espera. Estas matrículas podem ser realizadas no site do CEFD, clicando aqui

O profissional Otávio Reis trabalha com a natação para bebês e crianças em uma academia localizada em Jardim da Penha. Segundo ele, as aulas servem para que as crianças desenvolvam conscientemente seu aspecto motor. “As aulas são uma terapia para o corpo, elas não focam somente no exercício, mas ajudam as crianças a terem consciência sobre o movimento delas”.

Em 2010, Otávio era estudante do CEFD e esteve presente na construção do projeto Água Viva. Ele destaca que a psicomotricidade é muito importante: “As atividades físicas no geral são boas para o desenvolvimento das crianças. Mexem com a parte racional e fazem com que as crianças conheçam o movimento do próprio corpo”.

Não existe uma idade ideal para que as crianças entrem em aulas de natação, no entanto, muitos profissionais recomendam que essa partida seja dada aos seis meses de idade, quando a imunidade dos pequenos começa a se tornar mais forte. Segundo Otávio, os pais procuram as aulas de natação prezando pela segurança das crianças. “Principalmente por vivermos em uma cidade litorânea, eles procuram as aulas para garantir que os filhos não sofram acidentes. Há também os que procuram por ser uma atividade física”, declara.

Novos cortes na Educação

Devido aos novos cortes impostos pelo Ministério da Educação (MEC) as instituições federais de ensino foram mais uma vez prejudicadas. A Ufes teve que suspender mais de mil benefícios do Programa Integrado de Bolsas (PIB), entre os quais estão os Projetos Especiais de Apoio ao Ensino, Pesquisa e Extensão (Paepe) I e II, à Iniciação Científica e à Extensão.

O projeto Água Viva é um dos afetados. A estudante Djulia Tonnes, bolsista do projeto, recebeu a notícia de que a bolsa não será renovada e ainda não sabe se o projeto continuará no próximo ano. “A bolsa é renovada todo ano, mas esse ano não será mais. Vou continuar no projeto como voluntária, mas se ano que vem não voltar, não terei como continuar”, afirma.

Demais projetos oferecidos pelo CEFD

A natação não é o único esporte oferecido pela Centro de Educação Física e Desportos, da Ufes. Há também os projetos que englobam as modalidades de futsal, basquetebol, capoeira, jiu-jitsu, judô, karatê, kendô, taekwondo, ginástica rítmica e artística, tiro com arco, vôlei, entre outros.

Em sua maioria, os projetos são abertos tanto para a comunidade interna da Universidade quanto para a comunidade externa. Para se inscrever, é necessário acessar o site e entrar na lista de espera. 

Foto: Otávio Reis/Instagram

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *