Pedofilia e estelionato são crimes digitais mais comuns no ES

Share Button

Crimes no ambiente virtual estão sendo cada vez mais praticados no Estado, chegando a quase 2 mil registros na Delegacia Especializada de Repressão aos Crimes Cibernéticos (DRCC) em 2018


Arte: Aline Almeida

Por: Aline Almeida e Bárbara Catharine

O avanço tecnológico possibilitou uma série de inovações que geram praticidade para a vida das pessoas, porém, essa tecnologia trouxe consigo novas formas de transgressão à lei: os crimes cibernéticos. Dados divulgados pela Secretaria de Estado da Segurança Pública e Defesa Social (Sesp) revelaram que, em 2018, o Espírito Santo teve 1.898 crimes virtuais registrados na Delegacia Especializada de Repressão aos Crimes Cibernéticos (DRCC). Só no primeiro trimestre de 2019 já foram registradas 600 ocorrências.

“Os mais comuns no Espírito Santo são os crimes contra a honra, como calúnia, injúria e difamação, além da pedofilia e estelionato. Também são bastante comuns casos de fotos e vídeos vazados na internet sem consentimento, além de crimes contra a honra”, informou o delegado da DRCC, Brenno Andrade.

Uma mulher de 45 anos, que não quis se identificar, disse que já sofreu um crime no ambiente virtual e procurou a Justiça. “Quando eu e meu marido estávamos em processo de separação, minha ex sogra postou mensagens de ódio contra mim em uma rede social. Procurei uma advogada criminal que me orientou a registrar um boletim de ocorrência. A advogada inseriu nos autos os prints das postagens”, disse.

A ex sogra foi condenada por crime contra a honra. “Ela foi obrigada a me pagar uma indenização e a se retratar publicamente na mesma rede social, além de retirar todas as postagens ofensivas”, completou.

Mundo virtual x Mundo real

Existem poucas leis específicas diretamente ligadas à esses cibercrimes, segundo o delegado. Ele ressaltou os artigos 218 C, do Código Penal, que prevê a pena de um a cinco anos de prisão para quem vazar fotos ou vídeos de terceiros pela internet sem consentimento, e 154 A, que proíbe a invasão de dispositivo informático alheio.

“Para fazer uma denúncia de um crime no ambiente virtual é importante sempre levar prints e a URL do site para que possamos investigar. Quando um crime é cometido virtualmente, nós buscamos no Código Penal algo que se aproxime da conduta para que possamos tipificá-la. Crimes como injúria ou calúnia, por exemplo, quando acontecem no mundo virtual, são os mesmos do mundo real, o que muda é o ambiente em que ele está sendo cometido”, afirmou Andrade

Você sabe o que é engenharia social?

De acordo com o site wikipedia, engenharia social refere-se à manipulação psicológica de pessoas para a execução de ações ou divulgação de informações confidenciais. É um método de ataque, em que alguém faz uso da persuasão, muitas vezes abusando da ingenuidade ou confiança do usuário, para obter informações que podem ser utilizadas para ter acesso não autorizado a computadores ou informações.

“É muito mais fácil para o criminoso fazer você clicar em um link ou digitar seus dados do que ele propriamente invadir o seu computador” – delegado da DRCC, Brenno Andrade

O delegado ainda deu dicas para não cair em crimes virtuais “É importante ficar atento e não clicar em links ou e-mails suspeitos, usar um bom antivírus, suspeitar de estranhos que tentam puxar conversa, não passar dados pessoais para ninguém, tomar cuidado com promoções, o indicado é procurar no site oficial da empresa para checar se a promoção é real”, completou.

Foto: Leone Iglesias/AT

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *