O desafio do clique em matérias on line na era das redes sociais

Share Button

Com o avanço das mídias sociais, os portais de notícia estão perdendo a exclusividade como único meio de obtenção de informações entre o público

Por Lavynia Lorenção

Desde o surgimento das redes, vários tipos de notícias passaram a ser distribuídas por meio delas, com links que transportam rapidamente para o seu ponto de origem. Mas será que as pessoas clicam nesses links?

Para Fred Lopes, jornalista responsável pelo conteúdo on-line do Metro Jornal (impresso de distribuição gratuita nas  capitais e em várias cidades do Brasil),  conquistar esse clique é o desafio de todos os veículos de comunicação. É daí que vem a necessidade de criar engajamento entre veículo e público. “Para conseguir mais retorno, apostamos em notícias relevantes para o nosso público. No nosso caso, focamos em notícias locais, pois temos um público consolidado nessa área”, informa.

Ocupadas em sua maioria por um público que vai do adolescente ao jovem-adulto, as redes sociais exigem conhecimento e monitoramento para obter bons resultados. Foi feita uma pesquisa on-line com o intuito de entender melhor o comportamento deste público em relação a notícias que são distribuídas por meio das time lines das redes sociais.  Das  34 pessoas que responderam o questionário, a maioria jovens entre 17 e 21 anos, todos afirmaram ver a notícias que são veiculadas  em plataformas online, mas não necessariamente clicarem no link que leva ao site de origem.

A categoria à qual a notícia pertence é um fator crucial para que ela seja acessada. Quando questionados sobre quais categorias os fariam clicar para ler, a maioria escolheu Entretenimento, buscando mais sobre música, cinema ou teatro. Em seguida foi citada a categoria “Internacional. Matérias com foco político ou em saúde também foram mencionadas  

A rentabilidade das publicações jornalísticas em redes sociais está ligada ao feedback que o veículo demídia recebe do público a cada notícia divulgada. De acordo com a pesquisa realizada, a maioria dos que responderam buscam interagir com a publicação da notícia pelos veículos nas redes sociais.

 

Outro ponto abordado na pesquisa foi o “sensacionalismo” presente nas chamadas das matérias divulgadas nas redes sociais, em que os veículos postam títulos ambíguos ou apelativos, deixando para o leitor chegar à sua própria conclusão sobre o assunto antes mesmo de ler a notícia integralmente. Para 82,4% dos pesquisados há sim intenção maliciosa ao usar sensacionalismo nos títulos das chamadas. Ao ser questionada sobre o tema, a estudante de Jogos Digitais da Universidade do Vale do Rio dos Sinos, Franciele Strack, complementa a questão dizendo que essa atitude por parte dos veículos contribui indiretamente para a propagação de uma parcela das fake news, pois vivemos em uma época em que as pessoas perderam a vontade de acessar um site e ler um grande texto sobre a notícia que buscam.

Com o surgimento das redes sociais os veículos de comunicação ganharam fortes aliados para a propagação de informações. As redes sociais vêm desempenhando um papel muito importante no trabalho jornalístico e na disseminação de notícias ao público. Como os jornais, as redes sociais unem pessoas que compartilham diferentes ideias e opiniões. A relação entre a mídia e as redes sociais é cada vez mais estreita onde ambas têm o objetivo de manter o leitor informado. Atenção para o plural dos verbos

Através das redes sociais pode-se monitorar os assuntos que estão sendo mais comentados no momento, ampliar o relacionamento do veículo de comunicação com o público, fazer contato com possíveis fontes e apurar informações. Há vários pontos positivos entre a interação que acontece do público e os veículos de comunicação por meio dos posts (nas redes sociais). Pode ser muito benéfico, pois possibilita um maior conhecimento do perfil do leitor e é uma forma de estar sempre o mais próximo possível do seu público. Além disso, com os posts, o veículo transmite notícias e obtém um feedback em tempo real do que foi divulgado, possibilitando saber mais sobre a satisfação do leitor e a qualidade do material ofertado.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *