O milagre de ser mãe

Monielli Bonatto e Naiara Arpini – Tudo começou no ano de 2013. Alguns nódulos no pescoço e uma gravidez inesperada. Assim começa história de Munira Trancoso Gonçalves. Nove meses é o tempo exato para um feto se desenvolver dentro do útero da mãe e virar um bebê, lindo e saudável. Só de pensar nessa formação já nos vem à mente a palavra “milagre”. Que outra forma haveria para explicar uma vida que é gerada pela outra?

Com 20 anos, Munira engravidou. Imagina, ficar grávida tão nova apavoraria muitas mulheres, mas, para esta em particular, foi motivo de renascimento. Duas semanas depois que descobriu a gravidez, um médico diagnosticou o que eram os nódulos no pescoço que tanto a incomodavam: um tipo de câncer conhecido como Linfoma de Hodgkin.

Desesperar-se, com certeza, era a primeira opção, nenhuma menina nessa idade deveria ter que lidar com esse tipo de problema. Porém, com um filho no ventre, a única escolha era lutar, pela sua vida e pela que estava por vir. Os médicos falaram que seria perigoso, que o tratamento envolveria muita química e que o bebê poderia não aguentar, mas ela não desistiria daquela pessoinha crescendo a cada dia dentro dela e que ela já amava.

O tratamento teve que começar rápido, pois o câncer estava se espalhando pelo seu corpo. Foram várias sessões de quimioterapia, 10 kg a menos, mas uma fé inabalável. Dessa forma, os nove meses passaram e Benito nasceu, no tempo certo, saudável e todo alegre. Mas o tratamento continuava, foram mais 10 sessões de radioterapia, para finalmente Munira se ver livre da doença.

Em meio a todas as dificuldades, ainda abalada, ela ainda teve que lidar com o término do namoro, e com o vislumbre de ter que criar seu filho sozinha, como mãe solteira. Mas, mais uma vez,  Munira se mostrou forte e confiante. De cabeça erguida ela, foi curada do câncer, teve o seu bebê e superou o término de um namoro.

Nesse mês das mães, além de celebrar a vida do seu filho Benito Trancoso Gonçalvez, Munira vai celebrar a sua vida, o seu milagre. Parabéns a você, mãe, mulher e guerreira. Que a sua história sirva de motivação para tantas outras mães.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *