Share Button

E-commerce brasileiro fecha 2013 com recorde de faturamento, porém o poder ainda está na mão de poucos

(Fernando correia) Por que algumas empresas nascem e se consolidam enquanto outras não sobrevivem? Desde a popularização da internet e do e-commerce, montar um empreendimento comercial e investir no setor de vendas se tornou cada vez mais fácil. O sucesso da empreitada, entretanto, não vem para todos.

De acordo com dados divulgados pela ABComm (Associação Brasileira de Comércio Eletrônico), o ano de 2013 fechou com um faturamento por parte das e-commerce de R$ 31,11 bilhões, o que representa um crescimento de 29% em relação a 2012. Os altos números, porém, ainda ficam restritos a uma minoria. Cerca de 70% dos comerciantes virtuais vendem menos de 10 produtos por mês e são considerados inoperantes. Para 2014, a expectativa da ABComm é que o setor bata novo recorde de faturamento, com mais de R$ 39,5 bilhões.

Atualmente no Brasil, cerca de 51 milhões de pessoas já compraram online pelo menos uma vez. Em 2013, nove milhões fizeram sua primeira compra. Isso mostra que o país possui um potencial enorme de crescimento no ambiente online e um grande volume de público a ser conquistado.

Por isso, o que fazer para se destacar?

Há três anos, com o objetivo de achar a resposta para esta pergunta, o publicitário capixaba Abner Phillip passou a fazer parte de uma empresa que presta assessoria àqueles que buscam o sucesso de seu negócio na internet. Para ele, a chave para se destacar no e-commerce não é apenas ter um bom produto e uma plataforma sólida. É fundamental buscar o conhecimento profundo do nicho de mercado em que atua, entender como agem seus potenciais clientes e também sua concorrência.

“É importante ter metas e objetivos bem traçados, além, é claro, de estabelecer e seguir à risca um bom planejamento e procurar manter a operação financeiramente saudável, para que se possa potencializar os investimentos em mídia. O foco deve estar sempre no ROI (return on investment), que é um índice que mostra quanto retorno financeiro cada ação proporcionou”, enfatizou.

Abner também destaca que a tendência de “ir de encontro com a maré” não é o mais indicado; é necessário ter identidade. “Comércio eletrônico possui diversos conceitos fundamentais, mas não existe uma receita de bolo. A grande vantagem é que tudo é mensurável e saber analisar cada passo é um excelente caminho para corrigir os erros e amplificar os acertos. Como se trata de um mercado com grande potencial de expansão, a possibilidade de se obter sucesso em um segmento ainda não explorado é bem provável”, afirmou.

Share Button

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *