As dificuldades de andar de bicicleta dentro da Ufes.

Share Button

[h4] Dentro da Universidade é possível ver muitas bicicletas, e, os ciclistas reclamam principalmente da falta de bicicletários.  [/h4]

Inglydy Rodrigues e Tamires Mazin – Basta apenas uma volta pela Ufes para perceber a variedade de bicicletas existentes no campus de Goiabeiras.  Novas, velhas, azuis, amarelas… O motivo de usá-las é que elas são mais rápidas do que caminhar e mais barato do que pagar ônibus todos os dias.

Entretanto, quem não usa esse meio de locomoção não sabe as dificuldades enfrentadas pelos ciclistas, e nem as ações mais criativas realizadas por eles para conseguir guardar as bicicletas enquanto assistem às aulas, almoçam ou estudam na biblioteca da universidade.

7Mariani Dan Taufner, estudante de Arquitetura, afirma estar mais fácil agora guardar a bicicleta no átrio do Cemuni IV, pois construíram a cantina e fizeram rampa. Mas, antes disso era preciso pegar a bicicleta quase no colo e carregá-la para dentro do prédio juntamente com os livros, o notebook e a bolsa. Ela ainda reclama das passarelas, pois muitas delas ainda têm defeitos e aclives, e como a estudante carrega o notebook na cestinha da bicicleta, ele acaba sendo sacudido, podendo até quebrar.

A estudante de arquitetura possui algumas aulas ministradas no Centro tecnológico e afirma que a largura da passarela de acesso para o local mal cabem duas pessoas, impossibilitando também o tráfego de bicicletas. Assim como Mariani, Ariane Pineiro, estudante de Artes Plásticas, reclama dos desníveis existentes em algumas passarelas e da falta de espaço delas no percurso que faz para ir às aulas.

Ariane, prefere guardar a bicicleta sempre dentro do prédio em que estuda, ou até mesmo dentro da sala de aula, pois tem receio em deixá-la do lado de fora, devido à falta de segurança na Universidade. Hoje, está no 5º período e sempre foi de bicicleta para a Universidade e garante que essas questões sobre tráfego de bicicletas não mudaram muito no decorrer desse tempo.

Yuri Vianna, estudante de Audiovisual, também reclama da falta de segurança existente na Ufes.  Para ele não existem lugares seguros para guardar a bicicleta.

2Além da falta de segurança e a ausência de locais próprios para andar de bicicleta dentro da Ufes, uma reclamação feita pelos três estudantes é quanto à falta de bicicletários, situação que os obriga a guardar as bicicletas nos locais mais inusitados. Para Yuri Vianna é importante criar lugares para guardar as bicicletas que não sejam as pilastras da passarela ou as latas de lixo.

Francisco Primo, Diretor Planejamento Físico da Prefeitura Universitária, afirma que estão sendo elaborados estudos para viabilizar a instalação dos bicicletários em todos os campi. Entretanto, ele diz que em algumas reformas realizadas já foram implantados alguns espaços para guardar as bicicletas.

Quanto a ciclovia, não há estudos para dar essa comodidade aos estudantes. O que tem disponível hoje para os ciclistas são as passarelas, o que não é o ideal, pois tem que dividir o espaço com pedestres e até mesmo com motocicletas.

5Quanto à segurança, Anival Luiz dos Santos, diretor de Segurança e Logística da Prefeitura Universitária, orienta os alunos a guardarem suas bicicletas em locais que tenham câmera, pois, em caso de furto, se o local estiver sendo monitorado no momento da ação é possível impedir o acontecimento, na hora. Às vezes não é possível evitar o roubo, mas é possível identificar a pessoa para prevenir novas ações dentro da Universidade. Hoje existem 280 câmeras  na UFES monitoradas por duas pessoas.

Entretanto, Anival afirma que existe um projeto para construção de bicicletários monitorados por câmeras em cada centro, a fim de dar mais segurança e comodidade para os ciclistas dentro da Ufes.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *