Galeria de Arte da Ufes recebe exposição “Horizontes”

Share Button

(Karina Mauro) A Galeria de Arte Espaço Universitário, da Universidade Federal do Espírito Santo, recebe uma nova exposição: “Horizontes”.  A mostra é fruto da união dos trabalhos das quatro jovens artistas Thais Apolinário, Luara Monteiro, Tatiana Rosa e Charlene Bicalho, com  curadoria da Coordenadora da Galeria, Neusa Mendes, e aborda diversos temas relacionados à herança da cultura negra.

A exposição foi produzida a partir das questões tratadas no “VI Seminário Nacional de Educação das Relações Étnico-Raciais Brasileiras: contextos dos 10 anos da Lei 10.639/03”, realizado na Ufes no final de outubro, na qual foi debatido o racismo contra a população negra, e a implantação da Lei 10.639/03, que torna obrigatório o ensino da história e cultura afro-brasileira e africana em todas as escolas, públicas e particulares, do ensino fundamental ao ensino médio. As artistas buscaram utilizar objetos, instalações, fotografias, histórias e memórias para explorar as suas raízes afro-brasileiras.

A instalação da artista Charlene Bicalho propõe uma interação do público com a obra. Charlene guarda em pequenos vidros mechas de cabelos de amigos e pessoas que passaram por sua vida. Para ela, os fios não têm apenas um significado estético, mas carregam em si muitas memórias e histórias das pessoas. Por fim, Charlene convida o público a também cortar uma mecha de cabelo, a fim de compor a obra junto a tantos outros.

Tatiana Rosa utiliza miçangas, contas, ervas e búzios para criar sua obra, que ela chama de “Abre caminhos”. Segundo a artista, os diferentes materiais usados remetem à cultura africana que se misturou à brasileira: “As contas, as miçangas dos fios-de-contas, condizem com a proposta de se buscar representar a partir das cores e adereços as identificações estéticas de algumas tradições religiosas africanas recriadas no Brasil, portanto, afro-brasileiras. Cores que contam, representam e recriam histórias que foram e ainda são contadas e recontadas em seus espaços de resistência”, conta Tatiana.

É da Obra Social Nossa Senhora das Graças e do Ponto de Cultura Mirante que vem os 120 retratos que compõem a obra da fotógrafa Luara monteiro. Ela traz fotos das crianças que frequentam a ONG onde a artista trabalha e desenvolve ações culturais e educativas. “Henri Cartier-Bresson disse que ‘fotografar, é colocar na mesma linha, a cabeça, o olho e o coração’. É nessa procura constante de alinhar-me para capturar o instante que pude fotografar as crianças da ONG. Mais que isso, olhares em que me vejo, desejos que me desafiam e diversidade em que habito”.

O trabalho de Thais Apolinário conta com apenas dois materiais: cola e tinta. Thais deixa que a mistura entre os dois escorra em uma superfície, sem que ela tenha controle da forma que ela irá tomar. Essas camadas de cola, depois de secas, adquirem formas, cores e texturas totalmente distintas. “Eu sou composta por camadas de memórias, de experiências vividas que se constituem no que minha mãe e meu pai são, minha árvore genealógica compõe, me atravessa” explica Thais. E a artista ainda completa: “Estas são as camadas que me afetam e trazem o entendimento do que sou no mundo. Elas são a sobreposição de tempos” afirma.

A exposição “Horizontes” ficará aberta até o dia 30 de janeiro de 2014, na Galeria de Arte Espaço Universitário. A entrada é gratuita.

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *