Share Button

Um dos proponentes da Teoria da Evolução por Seleção Natural e renomado cientista de seu tempo, Alfred Russel Wallace é pouco conhecido um século após a sua morte.

(Felipe Puziol de Aquino) Em 2013 completaram-se 100 anos da morte de Alfred Russel Wallace, proeminente naturalista que propôs junto a Charles Robert Darwin a Teoria da Evolução por Seleção Natural, teoria esta que rendeu polêmicas que ainda hoje persistem. Em celebração à vida do naturalista, a Universidade Federal do Espírito Santo (Ufes) promoveu um evento que reuniu estudantes e professores no Cine Metrópolis para assistir documentários e palestras e participar de debates: o “Wallace 100”.

Wallace teve uma vida de aventuras. Britânico nascido em Gales a 8 de janeiro de 1823, o naturalista explorou o mundo em longas jornadas embrenhando-se em florestas, onde coletava e catalogava animais, e acabou por descobrir várias novas espécies. Suas viagens o levariam a formular o que viria a se tornar um novo paradigma acerca da vida no planeta Terra: a Teoria da Evolução por Seleção Natural.

Após uma infância marcada por dificuldades financeiras, Wallace se viu obrigado a deixar a escola em 1836, aos 13 anos de idade, para tornar-se aprendiz de agrimensor – chegando a dar aulas de desenho, cartografia e agrimensura na Collegiate School, em Leicester, aos 20 anos. Foi em Leicester que Wallace se tornou amigo de Henry Walter Bates, um jovem e promissor estudante de insetos. Bates foi um dos principais responsáveis por despertar em Wallace a paixão pelo colecionismo de animais, principalmente besouros. Por carta, os amigos discutiam tratados e ensaios de Geologia, Biologia e inspiravam-se nas crônicas de Alexander von Humboldt e Charles Darwin, naturalistas que viajaram pelo mundo para estudar fauna e flora de regiões até então pouco conhecidas dos europeus.

Assinatura de Alfred Wallace

Assinatura de Alfred Wallace

E foi justamente no Brasil que o naturalista vitoriano teve a primeira de suas grandes aventuras. Wallace chegou em terras tupiniquins no ano de 1848, mais especificamente em Belém, no Pará. Foram quatro anos de coletas, estudos cartográficos e deslumbramento com as belezas naturais dos rios Amazonas e Negro. Além de aumentar sua própria coleção de animais, Wallace pretendia financiar a expedição com a venda dos espécimes encontrados (principalmente aves, borboletas e escaravelhos). No entanto, um incêndio em alto-mar durante o regresso para a Inglaterra fez com que Wallace perdesse seus espécimes e diários. O navio naufragou, e por 10 dias, tripulação e passageiros sobreviveram em botes até que uma outra embarcação que cruzava o Atlântico os resgatou. Mesmo em tais circunstâncias, Wallace permaneceu um observador atento da natureza: “Durante a noite eu vi vários meteoros, e na verdade eu não poderia estar em uma melhor posição para observá-los do que deitado de costas em um pequeno bote no meio do oceano Atlântico”, escreveu.

[iframe: src=”http://univesp.ensinosuperior.sp.gov.br/preunivesp/media/upload/pu36_naturalistas.swf” frameborder=”5″ width=”575″ height=”431″ scrolling=”no”]

Evolução

Um ano após seu retorno à Inglaterra, Wallace se despedia mais uma vez de sua terra natal e partia em outra jornada. Desta vez o destino eram as florestas do Arquipélago Malaio (atualmente, regiões de Malásia e Indonésia). Oito anos de exploração, 125 mil espécimes coletados, mais de mil novas espécies descobertas. Por si só, esses números já causam espanto e admiração, mas a viagem rendeu ainda mais frutos: foi durante sua expedição ao arquipélago que Wallace refinou sua ideia de evolução por seleção natural.

A Teoria da Evolução por Seleção Natural é comumente relacionada apenas ao também naturalista inglês Charles Darwin, porém, um dos trabalhos pioneiros na divulgação de tal ideia continha o nome de ambos, Alfred e Charles: On the Tendency of Species to form Varieties e On the Perpetuation of Varieties and Species by Natural Means of Selection, apresentado à sociedade em 1 de julho de 1858.

O vídeo a seguir ilustra os aspectos básicos da Teoria da Evolução:

http://www.youtube.com/watch?v=N-SrvGfwiTg

Há um século Alfred Russel Wallace se foi, mas sua determinação e perseverança ainda nos inspiram.

Veja mais:

Documentário em duas partes (em inglês) sobre a vida de Alfred Russel Wallace, exibido no evento “Wallace 100”:

Parte 1, “Wallace in Borneo”: http://www.youtube.com/watch?v=h4ViNumnAFw

Parte 2, “Wallace in the Spice Islands”: http://www.youtube.com/watch?v=8VaefYfY1L0

Share Button

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *