Praia do Suá: as histórias do Seu Gil

Share Button

[h4]Gil Gonçalves, 81, conta um pouco das histórias da “rua das peixarias” e as mudanças da Praia do Suá[/h4]

Mateus Cordeiro – Quem passa pela Rua Almirante Tamandaré não consegue deixar de se encantar com um senhorzinho querido, sempre simpático e sorridente, dono de um comércio de gelo, conhecido como Geloso.

Gil Gonçalves um dos moradores e comerciantes mais antigo da Praia do Suá
Gil Gonçalves um dos moradores e comerciantes mais antigo da Praia do Suá

O senhor responde pelo nome de Gil Gonçalves e do alto de seus 81 anos de idade têm história como poucos para contar sobre aquela região, afinal, Seu Gil, como é conhecido, mudou-se de Afonso Cláudio, cidade do interior do Espírito Santo, para Rua Almirante Tamandaré na década de 50.

Gil recorda bem de toda a sua história de vida no bairro. “Estou há 60 anos na Praia do Suá, vim para ser pescador e me dediquei por muito tempo a essa atividade.”

Falando um pouco sobre a formatação da antiga Praia do Suá, Seu Gil é só boas lembranças. “O mar chegava ali no começo da rua. Só tinha mato e mar. A pesca era muito boa, muito melhor do que hoje. Era muito bonito e tranquilo”.

Especial: Praia do Suá
Uma colônia pesqueira
As histórias do Seu Gil
O aterro
Comércio pesqueiro
Imagens da "Rua das Peixarias"

Para Gil, o aterro feito na década de 70 não mudou muito as coisas no bairro. “A principal atividade continuou sendo a pesqueira e o comércio vende frutos do mar; os moradores também não mudaram muito, talvez a diferença seja que agora temos no bairro restaurantes e outros pontos comerciais.”

Um dos moradores mais antigos, Gil, também já foi dono de peixaria assim como a maioria dos comerciantes da região “Tive peixaria por muito tempo, mas hoje em dia eu confesso que a pesca está bem mais difícil. Graças a Deus atualmente eu só vendo gelo e confesso que nem posso reclamar, no final de semana o movimento é muito bom.”

Devida a tantas casas comerciais do mesmo ramo, a Rua Almirante Tamandaré é conhecida como “Rua das Peixarias”. Apesar da concorrência natural, Gil identifica uma particularidade entre os comerciantes da Praia do Suá. “Aqui nós não nos tratamos como concorrentes, somos muitos amigos, indicamos o outro quando falta certo produto, o importante é que todos os comerciantes estejam satisfeitos e ganhando seu dinheirinho.”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *