Share Button

Os dois amigos alfaiates montaram um negócio próprio e iniciaram uma parceria que já dura 20 anos e vai muito além do nome

foto: Thaiana Gomes

Daiane Delpupo“O céu traz um otimismo que há muito tempo você não sentia. Confie no seu talento. Mas não tente fazer tudo sozinho. Vai ficar mais claro do que nunca como as parcerias são importantes na sua vida.” É com essa mensagem que se inicia a sexta-feira, 14 de junho, do alfaiate Sebastião Ferreira Lopes, 68 anos. “A alfaiataria é aberta às 8h, mas o expediente só começa mesmo depois de eu ler o meu horóscopo do dia”, afirma Tião, pisciano, amante da astrologia, que acompanha, há muitos anos, diariamente, o signo de peixes.

Tião garante que o horóscopo sempre traz uma boa orientação para o seu dia e nunca falha em suas previsões. “É sempre assim, eu leio o horóscopo e me sinto mais motivado. Além do meu signo, acompanho também o signo de câncer, signo de uma pessoa que é muito especial para mim”, conta, mostrando, na carteira, a foto de uma antiga namorada.

Tião mede atentamente cada centímetro do tecido de um terno, sua especialidade.

Tião mede atentamente cada centímetro do tecido que fará um terno, sua especialidade.

Tião não trabalha sozinho. Ele e o grande amigo Almir Amorim, 64 anos, são os proprietários da “Tião e Almir Alfaiataria”, localizada na Rua Sete de Setembro, centro de Vitória. Uma parceria que dá muito certo há seis anos e nasceu de uma amizade que dura mais de duas décadas. “O Almir, já não é um simples companheiro de trabalho, já é mais que amigo, considero-o como meu irmão”, declara Tião.
Os dois, Almir e Tião, são alfaiates há mais de 40 anos. Tião é natural de Caratinga, Minas Gerais, onde começou a aprender a profissão, vendo o trabalho dos alfaiates da cidade.

É no espaço pequeno, apertado, alugado no centro de Vitória que os dois aposentados dividem, dia a dia, o serviço, os clientes, risadas e histórias.

É no espaço pequeno, apertado, alugado no centro de Vitória que os dois aposentados dividem, dia a dia, o serviço, os clientes, risadas e histórias.

Já Almir, é de Linhares e teve o primeiro contato com a alfaiataria em Vitória, na Escola Técnica, atual Ifes. “Eu vim para Vitória estudar no internato da Escola Técnica. De todos os cursos, o que me despertou maior interesse foi a alfaiataria”, conta Almir.
Os dois trabalharam em muitos lugares, Tião chegou a morar em outras cidades procurando se estabilizar na profissão. “Tinha época que ficava difícil ser alfaiate e eu me mudava na busca por melhorias. Trabalhei como alfaiate em Minas, no Rio de Janeiro e por fim, aqui em Vitória, onde me fixei”, conta. Foi em Vitória, no Centro da cidade, que ele conheceu Almir. Eles trabalhavam em alfaiatarias concorrentes, mas mesmo assim iniciaram a amizade que já tem mais de 20 anos.

“Quando o meu patrão adoeceu, passou a alfaiataria para mim. O Almir já tinha sua própria alfaiataria, e eu propus uma união nos negócios. Assim seríamos os únicos alfaiates aqui da região. E juntos seríamos imbatíveis”, afirma Tião, com sorriso no rosto.
Almir, depois de muito pensar, aceitou a sociedade e hoje garante que fez um bom negócio. “Unimos nosso conhecimento e nossa experiência. Somos os únicos alfaiates aqui da localidade. É bom trabalhar junto. Quando um não pode, o outro está aqui mantendo o negócio de pé. Hoje mesmo, por causa do trânsito cheguei atrasado, mas o Tião estava aqui e abriu a alfaiataria no horário de sempre”, diz.

O trabalho é dividio. Almir fica por conta de costurar as camisas e as calças sociais.

O trabalho é dividido. Almir fica por conta de costurar as camisas e as calças sociais.

Tião e Almir têm clientes fiéis. Alguns até conhecidos. “Temos muitos clientes antigos e a cada dia surgem novos. Temos clientes importantes. Gente do Estado inteiro nos procura aqui. Muitos bancários aqui do Centro e alguns políticos, como a Iriny Lopes, fazem suas roupas com a gente”, revela Tião, que além dos ternos, camisas e calças masculinas, faz junto com Almir, algumas roupas femininas. “Vestido exige muito detalhe de costura, é mais para costureira. Mas nós fazemos saias, calças e camisas para mulheres” explica.
Um é especialista em ternos, o outro em camisas e calças sociais. “Fazemos terno sob medida. Essa é minha especialidade. O Almir é o camiseiro. Faz camisas e calças sociais como ninguém”, revela Tião.

A parceria segue da divisão das tarefas e organização do local até os rendimentos. “Quando o Almir está apertado de serviço, eu o ajudo e ele, também, me ajuda quando eu estou precisando. No final, dividimos o lucro. Não importa quem fez ou gastou mais, é no mamo a mano”, conta Tião.

A Almir e Tião Alfaiataria é uma parceria que dura seis anos e pode ser observada muito além do nome. É no espaço pequeno, apertado, alugado no centro de Vitória que os dois aposentados dividem, dia a dia, o serviço, os clientes, risadas e histórias. E como o signo de Tião, no dia lhe disse: “Confie no seu talento. Mas não tente fazer tudo sozinho. Vai ficar mais claro do que nunca como as parcerias são importantes na sua vida”.

 

Share Button

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>