Share Button

(Rayssa Santos e Daniely Borges)

A música clássica pode despertar reações diferentes e inesperadas para ouvidos pouco habituados. Uma boa mostra nos foi dada pelos alunos no Centro de Educação Infantil Criarte, que atende crianças na faixa dos dois a quatro anos de idade.

Embora, não seja um estilo musical novo, o contato com a música clássica não faz parte do cotidiano da maioria da população, incluindo as crianças. Geralmente, apenas aquelas que têm uma tradição familiar na música conhecem mais cedo este universo musical.

Partindo desta premissa, a experiência de apresentar música erudita a este público passa a ser uma caixinha de surpresa.  No dia do “mini-concerto”, a maioria dos nossos ouvintes, a princípio, não conhecia nem o instrumento utilizado pela musicista Danielle Chaves, o violino.

Danielle, musicista já há dez anos, conta sobre a experiência com as crianças. “Foi muito bom ver a carinha de surpresa dos meninos ao  conhecerem o violino de perto e ouvir o som. Alguns ficaram tão surpresos que nem piscaram, outros fizeram bagunça e até gritaram. Percebi também que os professores gostaram e ficaram surpresos. Em sua maioria, as pessoas conhecem a música clássica mais pela televisão do que ao vivo”, destaca.

Como Danielle descreveu, após uma pequena introdução ao estilo, a música começou. E as reações também. Muitos ficaram parados com os olhinhos atentos ouvindo aquele instrumento intrigante e encantador. Outros balançaram a cabeça, acompanhando o ritmo da música. Houve também aqueles que taparam os ouvidos e começaram a gritar.

 Alguns alunos, associaram a música à dança das bailarinas e desenhos animados. Apesar disso, o pouco que conhecem é suficiente para causar reações, tais como: encantamento, estranhamento, apreciação ou não. E, essas respostas são demonstradas por gestos espontâneos que, na maioria das vezes, apenas as crianças têm coragem de expressar. Um adulto, por exemplo, poderia ficar envergonhado de demonstrar que não gostou do som agudo do violino. Mas, as crianças não fazem cerimônia. Se apreciam ou não, expressam espontaneamente. Afinal, a música também é arte. E a arte estimula as emoções e ideias, mesmo sem o conhecimento técnico.

 Vejamos um trecho da apresentação:

(Nossos agradecimentos à direção e à coordenação do Criarte.)

 

Share Button

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *