Arte como terapia

Share Button

(Laila Martins)

Foi na adversidade que Patrícia Krug se revelou uma grande artista. Com diagnóstico de esclerodermia e espondiloartrose, enfermidades – a princípio – incuráveis, a artista mineira descobriu no seu talento uma forma de enfrentar as dificuldades. Ela buscou na pintura a terapia para sua dor e impressionou com seus traços firmes e precisos. “A arte terapia não é simplesmente pintar quadros, muitos menos realizar atividades manuais para passar o tempo. É um processo terapêutico, que visa conectar os mundos internos e externos do indivíduo, através de sua simbologia,” afirmou a artista.

155276_606847672675348_1610580012_nQueda de cabelo, dores persistentes por mais de seis meses, problemas afetivos, amigdalite, sinusite, rinite, asma, manifestações articulares, enfim, inflamações sistêmicas, necessidade de banhos longos e quentes, aversão ao tempo frio, cansaço ao mínimo esforço, sensação de febre, são alguns dos sintomas da esclerose sistêmica. “A doença abala muito o físico, a pele do rosto fica esticada e envelhecida, muitas pessoas entram em depressão. Encontrei na arte o caminho para retomar a minha vida”, completou.

Suas duas primeiras pinturas foram acrílica sobre madeira, em 2007. Nessa época, a artista ainda não levava seu talento a sério. Em 2008, resolver fazer mais uma obra. Ela pintou, esperou secar, enrolou a pintura e deixou-a esquecida no armário. Em 2012, Patrícia Krug decidiu desenrolar o quadro, emoldurou e dependurou no corredor de sua casa, fotografou e postou no Facebook. A partir daquele momento ela começou a expor suas pinturas, sempre com o intuito de alertar e conscientizar a sociedade com relação ao portador de doença crônica no Brasil.

563400_610808608945921_314988000_n“Recebi um carinho imenso e críticas maravilhosas. Muitas pessoas começaram a tirar dúvidas sobre a doença e sobre a arte terapia. Digo sempre que não superação na minha história de vida, sou portadora de uma doença que não tem cura, então não tenho como superá-la, só me resta enfrentá-la diarimente”, comentou.

Hoje Patrícia Krug viaja por todo o país com sua exposição chamada “Carinhos D’Alma”. Autoditada, a pintora reúne nesta mostra quadros que foram criados em situações diversas de sua vida. Para a artista, mente e corpo são indivisíveis e a nossa natureza, sábia que é, possui recursos internos para que possamos viver esta conexão em harmonia, tanto conosco quanto com o mundo que nos cerca.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *