Share Button

(Michelle Terra)

Quando nos encontramos com nossos amigos os temas não acabam. Um assunto vai puxando o outro como se forsse numa espiral sem fim. O Conversa de Roda é isso: um projeto no qual entrevistamos músicos, capixabas ou de outros lugares, perguntando sobre suas referências musicais, sua carreira, sua vida. Ao final de cada conversa, o entrevistado sugere um amigo para ser o próximo convocado, criando assim uma corrente de amizade e muita música.

Músico profissional desde 1995, multiinstrumentista, pintor, compositor, arranjador e produtor. Este é Wanderson Lopez, que nasceu em Minas Gerais e radicou-se no Espírito Santo. Iniciou seus estudos de violão erudito na FAMES, sendo um dos pupilos do Maestro Célio Costa aos 14 anos. Gravou quatro CDs, dois deles fora do país, e trabalhou com nomes como Roberto Menescal, Fernanda Takai e Negra Li.

Aos 12 anos, iniciou seus estudos em música erudita, mas logo tocava também em rodas de samba, ao mesmo tempo em que participava de uma banda de clássicos do jazz. Sob influência de Milton Nascimento, Heitor Villa-Lobos, Béla Bartók e Dusan Bogdanovic, se aprofundou no jazz moderno e na música erudita contemporânea, ritmos que Wanderson define como “livres, interessantes e emotivos”.

Toca vários instrumentos, como bandolim, viola caipira, guitarra e contrabaixo acústico, mas seu favorito é mesmo o violão. Usa um desses instrumentos de oito cordas, com uma corda aguda no lugar da sétima corda, que seria grave, o que lhe dá uma sonoridade mais moderna. Experimenta várias estéticas musicais, tornando sua obra flexível e pessoal. Suas inspirações são Egberto Gismonti, Baden Powell e Sérgio Assad.

Para compor sua obra, faz pesquisas com músicas de várias culturas: cubana, balcânica, africana, indiana e das Ilhas do Atlântico. A lista de músicos e bandas que também estão refletidos na música de Lopez é extensa: Carlo Domeniconi, Egberto Gismonti, Brad Mehldau, Bobo Stenson Trio, Christian Scott Quintet, Dusan Bogdanovic, Astor Piazzolla, Roland Dyens, Léo Brower e Alberto Ginastera.

Em 2005, saiu em turnê internacional na Espanha, acompanhando a cantora Kátia Rocha, no Festival Internacional de música Brasileña em Tenerife, capital das Ilhas Canárias. Faz parte do Baobab Trio, com o baterista e percursionista Edu Szajnbrum e professor de música Fabiano Araújo.

Arte do projeto Intuitive, uma parceria de Wanderson Lopez e Mendi Mohinder Singh

 

Seu próximo trabalho é o projeto Intuitive, formado por artistas de países diferentes que produzem há de melhor na música instrumental em seus países. O espetáculo foi pensado a partir do disco de mesmo nome, que Wanderson Lopez registrou na Inglaterra em 2011. Enquanto o CD foi uma expansão artística natural, que contou com participações de artistas ingleses em um registro ao vivo, como Joelle e Spike Barker, o show envolve o melhor do Brasil e da cultura inglesa, passando pelo tempero da música indiana.

Na turnê internacional, estão convidados os músicos Mendi Mohinder Singh (tablas), com quem trabalhou em uma turnê duo na Inglaterra e coautor do projeto, Mike Fletcher (sax e flautas), e Thomas Seminard Ford (baixo e guitarra). Nas apresentações nacionais, que acontecerão no Rio de Janeiro, em São Paulo, Belo Horizonte e Vitória, serão convidados baixistas e pianistas do cenário local.

Toda essa versatilidade tem seu preço: seu tempo está curtíssimo, quase o impedindo de nos conceder um minuto de sua atenção. Mesmo assim, encontrou um tempinho para esta entrevista e indicar seus colegas Ava Araújo e Gean Pierre como convidados do próximo Conversa de Roda. Todo esse esforço só deve indicar uma coisa – que devemos esperar o seu melhor nesse novo projeto e nos próximos que estão por vir.

Conheça o trabalho de Wanderson Lopez:

 

Para entrar em contato com Wanderson Lopez, acesse seu MySpace, seu Facebook ou mande um email para wandersonlopez@hotmail.com.

Share Button

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *